Todo mundo sabe a dificuldade de estudantes para arrumar um estágio nos dias de hoje. Principalmente no País com a taxa de desemprego em 11,6%, com 12,2 milhões de brasileiros sem ocupação formal, segundo o IBGE.

Mesmo diante desse quadro, a Prefeitura de São Bernardo resolveu cobrar 15% do valor da mensalidade para cada estagiário de enfermagem que atua nas unidades de Saúde da cidade.

A medida tem sido criticada tanto pelos proprietários das escolas de enfermagem quanto pelos alunos. Inicialmente, a intenção da administração Orlando Morando (PSDB) era cobrar 30%. Mas os donos das instituições de ensino reclamaram muito e o percentual baixou para 15%.

Ao que tudo indica, a cobrança será feita para as escolas que encaminham os estagiários. Porém, muitas delas alegam que o valor será cobrado dos alunos, porque não conseguem arcar com os custos a mais. O prefeito afirmou que vai descredenciar as escolas que aumentarem o valor das mensalidades. Em uma ‘live’ recente no Facebook, Morando afirmou que “estava uma bagunça dentro dos nossos hospitais” e que a cobrança dos 15% será para “cobrir despesas”.

Já os alunos reclamam que as escolas e eles mesmos já levam alguns insumos para o estágio, como luvas e outros itens, que estão em falta nos hospitais, segundo relatos.

Prefeito justifica caminhão do supermercado da família no Bom Prato

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), e o Sindserv (Sindicato dos Servidores) estão em guerra declarada. O último capítulo dessa novela foi a divulgação, por parte da entidade que representa o funcionalismo, de um vídeo que mostra um caminhão do supermercado da família Morando saindo do Bom Prato.

A imagem repercutiu nas redes sociais e muitos questionaram os motivos de o veículo estar no restaurante popular. Em ‘live’ no Facebook na quarta-feira (6/2), o prefeito afirmou que houve doação de tomate, cebola, melancia e banana, mostrando uma nota fiscal de doação. E atacou novamente o Sindserv, que vem apontando críticas à gestão tucana.