A Câmara de São Bernardo tem 28 vereadores. Mas os salários são pagos para 29 parlamentares. Esse político a mais é Mario de Abreu, do PSDB, partido do prefeito Orlando Morando (PSDB).

Mario de Abreu continua recebendo todo mês seus R$ 15.031,75 mesmo afastado do Legislativo, mesmo não tendo gabinete, mesmo sem atuar em prol da população de São Bernardo.

Uma nota no site da Câmara de São Bernardo diz: “Vereador afastado, porém percebendo seu subsídio por determinação judicial.”

Mario de Abreu esteve envolvido na Operação Barbatanas, deflagrada pelo Gaeco (grupo especial de investigação do Ministério Público), em parceria com a Polícia Civil, em novembro de 2017. Ele era vereador, mas estava nomeado pelo prefeito Orlando Morando como secretário de Gestão Ambiental.

Junto com outros integrantes da administração, foi denunciado pelo MP por organização criminosa, corrupção passiva e concussão. A acusação é por recebimento de propina na venda de licenças ambientais. Segundo a denúncia, Mario de Abreu liderava o suposto esquema, que funcionaria nos meandros da Prefeitura.

Depois da Operação Barbatanas, o tucano Mario de Abreu saiu da Secretaria de Gestão Ambiental, onde ganhava salário de R$ 22.984,68 por mês, e voltou para a Câmara de Vereadores.

Em junho de 2018, a Justiça decretou a prisão de Mario de Abreu por “intimidação de testemunhas a vítimas” no curso da ação. Ele fugiu. Mesmo foragido, continuou recebendo seu salário de parlamentar, pago com dinheiro público, dos impostos dos moradores de São Bernardo. E recebe até hoje. É o 29º vereador, mas não atua como vereador.

Como secretário do prefeito Orlando Morando, ele recebeu R$ 229.846,80. Como vereador, mais 202.928,63. Totalizando em dois anos e um mês (de janeiro de 2017 a janeiro de 2019) R$ 432.775,43.

Nesse período, só não recebeu salário em novembro de 2017, quando saiu da Secretaria de Gestão Ambiental.

Em dezembro de 2018, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) analisou recurso e revogou pedido de prisão do vereador Mario de Abreu.

Mario de Abreu ainda tenta voltar à cadeira de vereador. Neste mês, a Justiça negou um pedido dele. Assim, ele continua sem ser parlamentar, mas recebendo salário de R$ 15 mil por mês.