Mesmo com a obra embargada por falta de alvará, o colégio Darwin Central School continua construindo prédio e aumentando suas instalações na Avenida Vergueiro, equina com a Tua Mediterrâneo. Mais do que isso, as crianças continuam tendo aulas com o prédio em obras e em situação irregular.

Há informações de que uma autorização para reforma teria sido expedida pela Prefeitura, mas o que ocorre no local é uma grande obra de construção, de três andares. Além disso, a área da intervenção seria maior do que a informada às autoridades e as plantas apresentadas seriam antigas.

No local funcionava uma das unidades da Anhanguera e do Colégio Anchieta. Segundo relatos de pessoas que conhecem o andamento da obra, a piscina que havia no antigo imóvel foi tapada para ser feito um pavimento. Ocorre que, apesar de documentação autorizar a reforma, foram erguidos outros andares nessa área da obra, o que caracteriza construção.

Por causa das irregularidades, a escola já foi multada três vezes e a intervenção foi embargada. Mesmo assim, as obras continuam. O estabelecimento de ensino também foi notificado devido à ausência de documentos.

Ainda assim, há quem diga que faltou pulso por parte do Paço, para evitar que a situação chegasse a esse ponto.

A intervenção começou no fim do ano passado. O setor de trânsito da Prefeitura chegou a alertar para complicações no trânsito nas imediações, devido ao aumento do tráfego no local quando a escola começar a atender mais alunos. A execução das obras já causam transtornos.

A adaptação da Avenida Senador Vergueiro para receber a calha do Corredor Rudge Ramos é um dos complicadores para levar a obra em frente e isso também foi alertado para os representantes da escola. O sistema viário local será alterado para o bem coletivo, enquanto a obra na escola visa efeitos particulares.

Em novembro de 2018, um funcionário da Brasplan – São Paulo Educacional Ltda., representante da escola, se comprometeu a corrigir as irregularidades. A construção é feita pela empresa Arcandia Construtora Ltda. Não há placas de informações sobre a obra nem sobre os documentos como alvará e outros dados técnicos, como rege a legislação.

Em nota enviada à imprensa, o colégio Darwin Central School afirmou que fez as correções na obra após a notificação da Prefeitura e que tramita internamente processo final para total regularização da intervenção.

 

IMAGEM DGABC