Depois de dois meses de muita polêmica e um mês sem votar nada, a Câmara de São Bernardo, enfim, apreciou as contas de 2015 e 2016 do ex-prefeito Luiz Marinho (PT) nesta quarta-feira (12). Para rejeitar as contas, eram necessários 19 votos.

Mas a base governista, do prefeito Orlado Morando (PSDB), atingiu apenas 18 votos. Seis vereadores foram a favor das contas aprovadas e quatro se abstiveram. A votação das contas era item obrigatório da pauta e, como não estava sendo apreciada, travava as sessões.

Os balancetes de 2015 e 2016 tinham parecer positivo do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Mas a Comissão Mista, formada por vereadores dos partidos representados no legislativo, reverteu a decisão e opinou pela rejeição das contas. Mas, no plenário, não houve o número de votos suficientes para rejeitar as planilhas do petista, o que poderia tirá-lo da eleição de 2020.

A base do governo Morando é formada por 18 vereadores. Era necessário mais 1 voto para rejeitar as contas de Marinho. Houve diversas tentativas de convencer parlamentares a votar pela rejeição, mas os governistas não tiveram sucesso. Dessa forma, a votação é considerada derrota para o tucano.