O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), repudiou Jair Bolsonaro (PSL) e engrossou, junto com o PT, as críticas ao presidente, que atacou a família do presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz. Sinal de que a corrente ‘Bolsodoria’ está ruindo.

"É inaceitável que um presidente da República se manifeste da forma que se manifestou em relação ao pai do presidente da OAB , Felipe Santa Cruz. Foi uma declaração infeliz", afirmou o governador de São Paulo. Muitos petistas e líderes da esquerda também responderam a Bolsonaro.

Felipe Santa Cruz é filho de Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, desaparecido durante a ditadura por lutar contra o regime militar. O pai de Doria também foi perseguido pelos militares no mesmo período.

"Não posso silenciar diante desse fato. Eu sou filho de um deputado federal cassado pelo golpe de 1964 e vivi o exílio com meu pai, que perdeu quase tudo na vida em 10 anos de exílio pela ditadura militar", afirmou Doria.

Bolsonaro foi criticado pela OAB e, em resposta, afirmou que, caso Santa Cruz quisesse saber como o pai dele desapareceu na época da ditadura militar, ele contaria.

Aliado de Doria, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), também já atacou Bolsonaro em algumas ocasiões. Na campanha presidencial de 2018, em entrevista concedida ao Jornal da Gazeta, Morando chamou Bolsonaro de “falastrão”.

E vale lembrar que na eleição de 2012 Orlando Morando se ausentou do processo eleitoral e não disputou contra o PT. Informações dão conta de que teria acordo com os petistas para não participar da eleição.