ATENÇÃO!!! O atendimento da Saúde de São Bernardo, que já é péssimo, pode piorar ainda mais.

 

Funcionários da Saúde de São Bernardo contratados pela Fundação do ABC vão paralisar as atividades nos equipamentos a partir de terça-feira (17/9). Eles reivindicam reajuste salarial em cumprimento da convenção coletiva de 2019 que não está sendo cumprida.

A Fundação do ABC é a entidade usada por políticos da cidade para contratar parentes, num verdadeiro cabide de emprego. Enquanto isso, os funcionários de verdade e a população sofrem.

Segundo o Sindsaúde ABC, que representa a categoria, foi fechado acordo para reposição integral da inflação, de 5,07% nos salários e benefícios dos trabalhadores em duas parcelas, sendo que a primeira delas, de 2,5%, já deveria ter sido paga em agosto, o que não aconteceu.


O aviso de greve foi protocolado nesta sexta-feira (138/9), com antecedência de 72 horas previsto em lei, por se tratar de prestação de serviço essencial à população. "Ninguém aguenta mais tanto desrespeito àqueles que cuidam da saúde da população", afirmou o presidente da entidade, Almir Rogério Mizito, ao Diário do Grande ABC.

Já os agentes comunitários de saúde de São Bernardo, que também possuem vínculo com a FUABC, decidiram em assembleia extraordinária com o Sindacs-SP (Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde da Região Metropolitana) declarar estado de greve, etapa que antecede paralisação dos serviços prestados.

Eles reivindicam pagamento retroativo de quase dois anos de equiparação salarial, além de reajuste do vale-alimentação, defasado há três anos.