DIADEMA RETOMA GRUPOS QUE AJUDAM MUNÍCIPES A PARAR DE FUMAR
DIADEMA RETOMA GRUPOS QUE AJUDAM MUNÍCIPES A PARAR DE FUMAR clique aqui e ouça a matéria

Com a redução dos índices da Covid-19, metade das UBSs de Diadema já retomaram a oferta de acolhimento e tratamento para quem quer largar o cigarro   

Considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa de morte evitável no mundo, a prática do fumo traz malefícios tanto para o fumante como para as pessoas a sua volta (fumantes passivos). Para vencer esse desafio de saúde pública e reforçar o combate ao tabagismo, o dia 29 de agosto foi definido no Brasil como Dia Nacional de Combate ao Fumo. Nesse dia, a Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), reforça a importância do cuidado ofertado pela Atenção Básica estimulando as pessoas a procurarem suas unidades de referência para o tratamento contra o vício. 

Em Diadema, devido à pandemia da Covid-19, os grupos ficaram suspensos por quase dois anos como medida de proteção e os atendimentos no período foram individuais e bem pontuais. Com a queda dos índices relacionados à pandemia neste ano, a Coordenação da Atenção Básica (CAB) autorizou a retomada gradual dos grupos. Atualmente, 10 das 20 UBSs estão promovendo Grupos de Cessação de Tabagismo.  

A UBS Parque Real é uma delas. Segunda a Dra Renata Martins Peres, cirurgiã dentista da unidade e uma das profissionais envolvidas no grupo, a metodologia do tratamento do tabagismo no SUS acontece de forma multidisciplinar envolvendo profissionais da saúde como médicos, psicólogos, farmacêuticos e cirurgião dentista, entre outros profissionais da rede.  

“Dentro da área da Odontologia, por exemplo, focamos principalmente o câncer bucal, o autoexame realizado pelo próprio paciente, avaliação bucal realizado pelo profissional, é fundamental para fazermos uma prevenção precoce e avançada e, em casos de suspeita, esse paciente será encaminhado para o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), localizado no Quarteirão da Saúde”, explicou Renata. 

As equipes de Saúde da Família desenvolvem ações de promoção, prevenção e intervenção do cuidado em saúde mental, atenção ao uso abusivo de álcool, tabagismo e outras drogas, com o apoio da equipe multidisciplinar. O tratamento inclui desde avaliação clínica até terapia medicamentosa, quando necessário, por isso, a parceria com a Assistência Farmacêutica que participa e apoia a Atenção Básica nessa articulação da distribuição da medicação.  

“São métodos para quais existem evidências científica na cessação do tabagismo, ou seja, abordagem do tabagismo e farmacoterapia. Essa abordagem não visa somente apenas parar de fumar, visa também a manutenção da abstinência em que o foco principal é, criar estratégia e habilidades para enfrentar situações de recaída (prevenção), por isso, a importância semanal com profissional do grupo”, afirma a profissional. 

“É importante explicar que o Programa Nacional de Controle do Tabagismo é que fornece as medicações para os municípios, porém estamos com atrasos e instabilidades no recebimento das medicações, o que é motivo de alerta para a gestão, já que a medicação tem um papel importante neste processo. Mas vale ressaltar ainda que o tratamento não deve ser apenas medicamentoso, por isso, no município temos a oferta dos grupos terapêutico e das Práticas Integrativas e Complementares”, afirma a terapeuta ocupacional e apoiadora da Atenção Básica, Denise Miyamoto de Oliveira. 

Vale ressaltar que todas as 20 UBSs estão preparadas para acolherem a demanda e articularem o cuidado. Em 2022, até o momento, 170 pessoas já receberam atendimento referente ao vício no município.  

Como funciona 

Quem deseja parar de fumar deve se dirigir a recepção da UBS mais perto da sua casa. Caso a UBS de origem não esteja com grupo ativo, o usuário poderá ser encaminhado para uma unidade de referência.   

O Programa Municipal de Enfrentamento ao uso do Tabaco e de seus derivados prevê, segundo o Documento Norteador da Atenção Básica, a promoção, articulação e mobilização de ações para redução e controle do uso do tabaco, incluindo ações educativas voltadas aos profissionais de saúde visando o estabelecimento de grupos de apoio nas UBS para cessação do tabagismo. 

Legislação vigente 

Em 1986 foi criada a Lei Federal nº 7.488 que instituiu o 29 de agosto como o Dia Nacional de Combate ao Fumo para alertar a população contra os malefícios advindos com o uso do fumo.   

Em 2011 foi aprovada a Lei Federal nº 12.546, que foi regulamentada em 2014, que proíbe fumar em locais de uso coletivo, públicos e privados e fechados.  

Antes da aprovação dessa lei, oito unidades da federação já tinham normas próprias para tratar o tema, como o Estado de São Paulo que foi o primeiro do país a adotar lei antifumo específica, em 2009. 

O que vem por aí 

Diadema está trabalhando na implantação da Linha de Cuidado de Cessação de Tabagismo no município, que busca integrar ainda mais a rede municipal. Segundo Denise Miyamoto, por exemplo, a partir disto “o cuidado será ofertado por todas as UBS diretamente, mas não só! Os CAPS estão começando a capacitação, o Hospital Municipal também poderá fazer sensibilização (quando alguém está internado e não pode fumar o cuidado para a cessação pode começar lá dentro e continuar na UBS), ampliando o acesso e a continuidade do cuidado”, afirma.  

A gestão também está participando da organização do I Fórum Regional de Combate ao Tabagismo, previsto para o segundo semestre de 2022.  

Texto: Tatiana Ferreira 
Foto: Divulgação 

Tagged: , , ,

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content