GASTO MÉDIO DE R$ 540 COM CEIA DE NATAL FICA ESTÁVEL NO GRANDE ABC, TV São Bernardo - Notícias de São Bernardo do Campo - TVSBC
GASTO MÉDIO DE R$ 540 COM CEIA DE NATAL FICA ESTÁVEL NO GRANDE ABC, TV São Bernardo - Notícias de São Bernardo do Campo - TVSBC clique aqui e ouça a matéria

A ceia de Natal de 2022 terá um investimento médio semelhante ao do ano passado no Grande ABC, de R$ 540,60. Além disso, as famílias continuam preferindo realizar a confraternização em casa (54,6%) diante das recentes altas nos casos de Covid-19, conforme apuração do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo. 

Carne assada (14,3%), assim como aves assadas (14,8%) e frutas (11,9%) praticamente mantiveram presença na mesa natalina, de acordo com a PIC (Pesquisa de Intenção de Compras).   Panetones (11,2%), sorvetes (9,6%) e pavês (8,3%) apresentaram pequenas quedas estatísticas. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), os preços médios de produtos da cesta subiram 15% em relação ao Natal de 2021, o que pode justificar esse comportamento do consumidor.  

O gasto médio declarado com a ceia de Natal de R$ 540,60 representa aumento nominal de 5,9% em relação aos R$ 510 de 2021. Se descontada a inflação de 5,88% acumulada nos últimos 12 meses encerrados em novembro e apurada pelo IPCA/IBGE, o gasto médio ficou praticamente estagnado, comenta professor Sandro Maskio, coordenador de Estudos do Observatório Econômico. 

Deverão ter um gasto maior, de R$ 625 em média, aqueles que declararam intenção de realizar a ceia em restaurantes. Famílias do ABC paulista que celebrarão em casa devem dispender em média R$ 552. Já os que forem à casa de parentes e amigos pretendem gastar em média R$ 522. 

Em casa 

Por outro lado, o professor da Metodista aponta que a alta nos casos de Covid-19 nas últimas semanas impactou na disposição de confraternizar fora do lar.  

“Em 2019, pouco mais da metade dos entrevistados declararam que realizariam a ceia natalina na casa de parentes ou amigos, e outros 46% na própria casa. Em 2020, em um contexto de maior incerteza provocado pela pandemia, elevado grau de contágio e sem acesso a vacinação, 61% declararam que realizariam o encontro em casa, derrubando em 15 pontos percentuais a proporção daqueles que iriam à casa de parentes ou amigos. Em 2022, a proporção dos que deverão celebrar a ceia em casa (54,6%) ainda é maior do que o observado em 2019, em contraponto ao percentual dos que deverão confraternizar na casa de amigos ou parentes (43,4%), ainda menor que em 2019”, aponta o docente, dizendo que parcela da sociedade ainda preserva comportamento mais cuidadoso com relação à pandemia.   

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content