13º SALÁRIO: ESPECIALISTA DO CEUB DÁ DICAS DE COMO FAZER USO INTELIGENTE DO BENEFÍCIO, TV São Bernardo - Notícias de São Bernardo do Campo - TVSBC
13º SALÁRIO: ESPECIALISTA DO CEUB DÁ DICAS DE COMO FAZER USO INTELIGENTE DO BENEFÍCIO, TV São Bernardo - Notícias de São Bernardo do Campo - TVSBC clique aqui e ouça a matéria

Consultor empresarial lista como prioridades a quitação de dívidas e a antecipação de despesas extras como impostos e material escolar


Entre os meses de novembro e dezembro, a maioria dos empregados costuma receber o 13º salário e esta ajuda extra sempre vem em uma excelente hora. Esse valor pode ser aproveitado para organizar as finanças e de quem pretende começar o ano novo com mais tranquilidade e paz. Eis a questão: o que fazer com esse dinheiro extra, advindo do 13º salário, para melhorar a sua vida?

Especialista em consultoria empresarial, o professor de Administração e Ciências Contábeis do Centro Universitário de Brasília (CEUB) Max Bianchi recomenda algumas práticas para o bom aproveitamento do salário extra.

Nada de ir às compras!
O especialista destaca como prioridade quitar as dívidas, principalmente as de curto prazo. Ele explica que as melhores aplicações financeiras e investimentos, por melhor que sejam, costumam remunerar abaixo dos valores que são pagos de juros e multas de empréstimos de curto e médio prazos, por isso sugere a quitação das dívidas. “Assim, as aplicações mais seguras dificilmente irão remunerar mais do que os juros desses empréstimos. Vale muito mais pagar dívidas do que aplicar o valor”, considera Max.

No caso de prestações e boletos, sobretudo os atrasados, faturas de cartão de crédito, o saldo devedor de contas especiais e outras dívidas de curto e médio prazos, o 13º acaba sendo ideal no fim de ano. “Outro aspecto interessante é que, em alguns casos, pode-se utilizar esse dinheiro extra para negociar dívidas junto aos credores, que podem até oferecer um desconto para a quitação ou o pagamento à vista”, recomenda.

A segunda dica do consultor diz respeito a guardar parte do 13º para ajudar na quitação das chamadas ‘dívidas de início de ano’. Normalmente, logo quando começa o ano, chega o momento de pagar impostos, como o IPTU e o IPVA. “Se você tiver filhos em idade escolar, é a hora de pagar a matrícula do colégio ou da faculdade, adquirir materiais escolares, uniformes e outros. O ideal é ter um extra para complementar estas despesas”, alerta.

O especialista recomenda ainda que adiantar alguns pagamentos de janeiro pode redundar em descontos junto às escolas, prefeituras e órgãos públicos e privados. A medida é válida desde que tenha a garantia de descontos para adiantar esses pagamentos ou, caso não seja possível, a alternativa é aplicar o dinheiro em investimentos de curto prazo e ganhar um pouco antes de sacar para pagar.

Papai Noel com desconto
Para quem é Papai Noel e precisa comprar presentes de final de ano, a dica é barganhar descontos para pagar as compras à vista, recorrendo diretamente ao 13º salário. Bianchi avisa que essa recomendação é apenas para quem não tem dívidas a pagar. “Tal medida pode ser muito vantajosa, quando negociada com o gerente ou dono da loja para obter descontos, uma vez que você pagará por transferência, PIX ou dinheiro”, garante o professor.

No caso dos presentes de Natal, Bianchi explica que os lojistas preferem essa negociação, pois costumam pagar porcentagens dos valores que recebem às empresas de cartão de crédito pelos pagamentos via débito ou crédito. Nesse sentido, pagar à vista, além de permitir descontos, evita o endividamento com prestações para os próximos meses – que costumam pesar no orçamento dos meses que estão por vir.

Investimento e reserva
Se o consumidor estiver endividado e não for gastar comprando presentes, a dica de ouro é investir o dinheiro que sobrou conforme o seu perfil de investidor. Para quem está começando e tem um perfil mais conservador, a melhor pedida são os fundos de renda fixa, onde os ganhos não são muito significativos, porém é mais difícil ‘perder dinheiro’. Nesses casos, o professor do CEUB explica que o valor aplicado é convertido em quotas e o valor unitário dessas vai variando. Normalmente, o investimento em fundos de renda fixa costuma galgar rendimentos superiores aos da poupança, e é necessário poupar por mais tempo.

Além do ordenado extra recebido no fim do ano, o especialista alerta para a importância de ter uma reserva para emergências ou, mesmo, ir guardando dinheiro para viagens ou aquisição de bens de valor mais alto, como a troca do carro. “Se puder dispor do dinheiro por mais tempo, sugere-se, além dos fundos de renda fixa, os investimentos em CDB (Certificados de Depósitos Bancários), LTN (Letras do Tesouro Nacional), aplicações em CDI e outras onde o rendimento tende a ser um pouco mais alto, porém este ocorre em prazo mais longo”.

Devido à pandemia, Max Bianchi afirma que estamos vivenciando um período de incertezas econômicas, o que acende mais um alerta para um uso consciente do dinheiro. O professor sugere que, neste mês de dezembro, o mais prudente é evitar investimentos de risco, pagar contas e tentar entrar o ano com a saúde financeira em dia.

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content