SÃO BERNARDO FORTALECE COLETA SELETIVA COM APROVAÇÃO DE PROJETO DE REMUNERAÇÃO PARA COOPERATIVAS

SÃO BERNARDO FORTALECE COLETA SELETIVA COM APROVAÇÃO DE PROJETO DE REMUNERAÇÃO PARA COOPERATIVAS

Em um esforço para aprimorar e fortalecer o sistema de coleta seletiva, o município de São Bernardo deu luz verde, nesta quarta-feira (6/9), a um projeto de lei que possibilita a celebração de um termo de colaboração com as cooperativas Reluz e Cooperluz. Estas instituições são encarregadas da triagem e destinação adequada dos materiais recicláveis recolhidos na cidade. O projeto prevê a criação do Fundo Municipal de Recuperação Ambiental (FMRA).

A iniciativa, proposta pela administração do prefeito Orlando Morando, foi sancionada com 24 votos a favor pela Câmara Municipal. Entre as principais disposições, destaca-se a remuneração para as cooperativas pelos serviços prestados daqui em diante.

O prefeito Orlando Morando ressaltou a relevância do projeto, afirmando: “Este é um passo vital para o avanço sustentável de São Bernardo. O processo de coleta seletiva deve ser continuamente expandido e respaldado. Os catadores de materiais recicláveis desempenham um papel fundamental neste cenário e merecem reconhecimento”. O acordo estabelecido tem duração de 18 meses, com a possibilidade de ser estendido até 60 meses. A responsabilidade pela administração desta parceria ficará sob a alçada da Secretaria de Meio Ambiente e Proteção Animal.

A remuneração das cooperativas será determinada com base no montante despendido para o aterramento de resíduos sólidos (não separados) no Aterro Sanitário. Outras partes cruciais do projeto enfatizam a inclusão social e econômica, reconhecendo que muitos catadores enfrentam condições de vulnerabilidade social. A medida também visa diminuir os impactos ambientais e, assim, incentivar a educação sustentável em todo o município.

A secretária de Meio Ambiente, Dra. Regina Célia Damasceno, salientou: “Através de recursos do FMRA, que suporta, dentre outros objetivos, a gestão ambiental, a nova legislação busca estabelecer uma remuneração consistente para os catadores, valorizando um trabalho que minimiza o desperdício e promove sustentabilidade e inclusão”.

Este projeto em São Bernardo amplifica uma iniciativa lançada em março, chamada “Cidade Limpa”, que tem impulsionado o recolhimento de resíduos recicláveis e diminuído o descarte irregular.

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

× Como posso te ajudar?
Pular para o conteúdo