TRABALHADORES NA MERCEDES CRUZAM OS BRAÇOS EM PROTESTO ÀS 3,6 MIL DEMISSÕES ANUNCIADAS PELA EMPRESA
TRABALHADORES NA MERCEDES CRUZAM OS BRAÇOS EM PROTESTO ÀS 3,6 MIL DEMISSÕES ANUNCIADAS PELA EMPRESA clique aqui e ouça a matéria

Em assembleia com a direção do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC na tarde desta quinta-feira, os trabalhadores na Mercedes-Benz, em São Bernardo, aprovaram a paralisação da produção até a próxima segunda-feira (12).

A mobilização é um protesto ao anúncio feito pela direção empresa, na última terça-feira (6), de que pretende demitir 2,2 mil trabalhadores das áreas de logística, manutenção, ferramentaria, laboratórios, fabricação de eixos e transmissões de caminhões médios, e 1,4 mil trabalhadores com contratos temporários.

O presidente do Sindicato e trabalhador na Mercedes, Moisés Selerges, afirmou que a paralisação é para começar a ensinar ao novo presidente da Mercedes como se negocia. “Precisamos mostrar que um processo de negociação se faz em torno de uma mesa. Muitas vezes num processo de negociação não vai prevalecer tudo que o Sindicato quer, mas também não vai prevalecer tudo o que a empresa quer”.

O dirigente lembrou ainda a incoerência do comunicado, já que até a semana passada pessoas estavam sendo contratadas.

“Então como é que funciona, contrata em uma semana e na outra solta um boletim dizendo que tem que demitir? Isso não é lógico, não é racional”.

“Queremos lutar pelos nossos empregos e pelo futuro também dos companheiros de contrato temporário, a luta tem que ser de todos e não só das áreas envolvidas. Aqui não tem herói, tem gente comprometida para fazer a luta, e pode ser um processo longo, temos quer ter fôlego”, finalizou.

Na terça-feira (13), a direção da empresa e representantes do Sindicato terão uma reunião de negociação. A mobilização desta quinta-feira foi aprovada por cerca de 6 mil metalúrgicos presentes na assembleia. Hoje a planta da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo conta com cerca de 9,5 mil trabalhadores, sendo cerca de 6 mil na produção.

Fotos Adonis Guerra

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content