AUTO VIAÇÃO ABC
AUTO VIAÇÃO ABC clique aqui e ouça a matéria

Diretão ou Vila Gilda? Uma expressão dos anos 70/80 que remete a uma das mais tradicionais empresas de ônibus do ABC paulista. A Auto viação ABC.

Em 1925, começou o transporte da Villa de São Bernardo a Santo André, locais pertencentes ao então município de São Bernardo, que na época englobava todos os atuais 7 municípios do ABC Paulista. Eram feitas por jardineiras pertencentes a João Setti e Humberto Maranesi. Em 1937 eram 3 Jardineiras montados em chassi Chevrolet Gigante que faziam o transporte entre estes dois locais. Depois Ettore Tosi substitui Humberto Maranesi na sociedade e a empresa ganha o nome de Setti & Tosi.

Em 1947, Tosi vende sua parte na empresa para o jovem José Fernando Medina Braga, que, meses depois, se casaria com Maria Myrthes, filha de João Setti. Foi como noivo que Braga recebeu do sogro o convite para comprar a parte de Tosi na empresa de ônibus e, assim, ingressar no ramo de transporte coletivo. Ele aceitou 25% da sociedade, e a Viação São Bernardo-Santo André se tornava uma firma familiar, a Setti & Braga.

Nos anos 50, o negócio começa a sofrer a concorrência da Auto Viação Ipiranga, dos irmãos Romano, que começam a explorar os trajetos surgidos com a construção da via Anchieta. Abatido pelos pequenos resultados econômicos obtidos por décadas de trabalho árduo e as péssimas condições das ruas e avenidas, seu João Setti resolveu vender em 1954 a empresa, que tinha três ônibus, para o empresário José Romano. A venda foi feita em 24 parcelas.

Em 1956, sob o comando de José Fernando Medina Braga e Maria Myrths Setti Braga, nasceu em São Bernardo do Campo a Auto Viação Abc Ltda. Das antigas jardineiras, o transporte era feito com ônibus Carbrasa Volvo B96.

Na década de 60, há a ampliação da frota de ônibus modelo Nicola e Caio Bela Vista.

Na década seguinte, ganha o reforço de modelos monobloco 0-362. Esses ônibus ganharam a famosa pintura branca com listras vermelhas que estamparam os ônibus da empresa até a padronização da EMTU em 1999. Foi com este modelo de ônibus que surgiu a expressão. Diretão ou Vila Gilda. Isso se devia ao trajeto das linhas que iam para Santo André. Direto era praticamente o percurso feito hoje pelo corredor de trólebus da Metra. Vila Gilda era linha que passava pelo Baeta Neves e subia a Avenida Pereira Barreto até a Avenida Gilda, passando pelas avenidas Higienópolis e Portugal até chegar no centro de Santo André.

Na década de 80 havia a linha entre Diadema e Santo André, hoje não mais existente. Na década de 90 surge a linha para Santo André passando pela recém asfaltada Ruas dos Vianas, trecho entre a Rua da Assembleia até a divisa com Santo André e a Rua dos Carijós, em Santo André, que só tinha pavimentação até a Avenida Brasília.

Hoje João Setti dá nome a Rodoviária da cidade, José Fernando Medina Braga dá nome ao viaduto ao lado do Paço Municipal que dá acesso a Avenida Lucas Nogueira Garcêz. Maria Myrths Setti Braga faleceu em 10 de julho de 2016, em São Bernardo do Campo.

*****************************
Ednilson Teixeira
Batateiro.
Pesquisador das curiosidades da cidade.
Admin do grupo de Fotos Antigas de São Bernardo do Campo
Autor do livro Fotos Antigas de São Bernardo do Campo – Álbum Ilustrado.
(para adquirir o livro – http://fotosantigas.saobernardo.br/)
MTB n° 0089656/SP
*****************************
Fotos: Centro de Memória S.B.C. e Viação ABC
Desenho: Willian Bordin

Tagged: , , ,

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content