EVENTO MARCA A INAUGURAÇÃO DO MUSEU DO TRANSPORTE DO ABC, A COMEMORAÇÃO DOS 111 ANOS DA FAMÍLIA SETTI E BRAGA NO SETOR DE TRANSPORTES E OS 65 ANOS DA AUTO VIAÇÃO ABC
EVENTO MARCA A INAUGURAÇÃO DO MUSEU DO TRANSPORTE DO ABC, A COMEMORAÇÃO DOS 111 ANOS DA FAMÍLIA SETTI E BRAGA NO SETOR DE TRANSPORTES E OS 65 ANOS DA AUTO VIAÇÃO ABC clique aqui e ouça a matéria

Ocorreu no sábado, 20, um evento na antiga garagem da Auto Viação ABC que foi inaugurada de forma oficial, o Museu dos Transportes do ABC. Este espaço fica na garagem da Viação ABC, na Avenida José Fornari. O museu ainda não está aberto para visitação. Foi realizada uma festa que reuniu, além dos diretores do Grupo ABC, alguns importantes funcionários que ajudaram no desenvolvimento da empresa, amigos, autoridades entre outros convidados.

Além dos antigos ônibus, todos com pinturas clássicas da empresa em cada época, o museu contará com um grande acervo de fotos, documentos e outros itens, mostrando a trajetória da família Setti & Braga durante estes 111 anos.

Já na entrada do evento, pode-se ver fotos antigas de várias épocas mostrando além de ônibus, carros que fazem parte desta história.Na parte coberta, as mesas para os convidados.

No início, foi contada a história da família Setti, desde sua vinda para o Brasil no final do século XIX até o início dos transportes de passageiros em 1910 através de um tílburi, uma carroça puxada por dois cavalos. Uma réplica deste veículo estava em um outro local, coberto, já que no dia estava garoando muito e por precaução não o expuseram.

Uma das curiosidades sobre este transporte, contada por Maria Beatriz Setti Braga, é que o avô dela saía duas da madrugada para pegar os cavalos nos campos onde hoje fica a Praça dos Bombeiros e que naquela época a cidade era muito mais fria do que hoje. O horário era determinado pelo trem da antiga Estação São Bernardo, hoje Estação Prefeito Celso Daniel Santo André.

Muitos dos veículos restaurados vieram de garimpagem em vários locais do Brasil. Um dos responsáveis é João Antônio Setti Braga, que contava a história de cada ônibus ou veículo que tinha sido adquirido.

Um deles é o Ford Táxi da década de 20 (um Ford A). Foi o primeiro veículo a combustão utilizado por João Setti. Nesta época estava sendo construída a Represa Billing. João Setti levava os engenheiros da Light até a região das obras, entre Villa de Rio Grande até Cubatão.

Também na década de 20, João Setti passou a utilizar uma jardineira que ganhou o  apelido de “Vice-Versa”. Tinha este apelido, pois como o letreiro era pintado, o itinerário era “Estação de S. Bernardo a Villa de S. Bernardo” e o Vice-Versa era que o itinerário contrário era feito pelo mesmo veículo.

Na década de 30 o veículo utilizado era uma jardineira da Ford. Mantinha o apelido Vice-Versa, mas agora na lateral tinha escrito “S. Bernardo a Santo André”, já que em 1938 o antigo município de São Bernardo era agora chamado de Santo André e englobava os 7 municípios que hoje compõem o Grande ABC. Na lateral tinha a placa com o itinerário, que passava pela Marechal Deodoro, Bar Estrela, Pereira Barreto, Casa Publicadora (hoje Shopping ABC) e Avenida Queiroz dos Santos, já em Santo André.

Na década de 40, com o advento da Segunda Guerra Mundial e a escassez de combustível, a empresa começou a utilizar um jardineira Chevrolet modelo Gigante, movido a Gasogênio, que era fornecido na época pelos Irmãos Platzer, em Santo André. A matéria prima do gasogênio usado neste veículo era o gás de carvão ou gás de cidade.

As três jardineiras, dos anos 1920, 1930 e 1940 foram restauradas pela empresa R & E Representações. A jardineira Chevrolet da década de 1920 foi adquirida da antiga Viação Guarujá, que tinha este veículo em sua garagem.

Na década de 50 era utilizado outro modelo de jardineira, da Chevrolet. Em 1956 é fundada a Auto Viação ABC. Até essa época eram usados os ônibus “de bico”. No final  da década de 50 apareciam os primeiros ônibus “de cara chata”. Eram os Volvos 1957. Com o aumento da demanda, devido a instalação da fábrica da Volkswagen, a empresa teve que aumentar sua frota em 15 e 20 veículos.

Já na década de 60 aparecem os modelos Caio Jaraguá. Na década de 70 os modelos Caio Bela Vista. No final da década de 70 os famosos monoblocos 0-362 e nos anos 80 os monoblocos 0-364. Na década de 90 os modelos Caio Vitória e a linha para Santo André indo pela Rua dos Carijós é inaugurada. Um modelo Caio Alpha, pintado nas cores branca com faixas vermelhas não estava na exposição, mas estava estacionado da garagem ao lado.

Muitos desses modelos antigos foram ônibus adquiridos, reformados e pintados nas cores da empresa em suas respectivas épocas.

Também estavam modelos mais recentes, como um ônibus modelo CAIO Apache Vip V, lançado este ano e pertencente à Next Mobilidade. Empresa que assumirá todas as linhas da região do ABC até março de 2022. Outro ônibus mais moderno era um fabricado pela Eletra, empresa do mesmo grupo, o Dual Bus, ônibus elétrico sem fio.

Além de ônibus tivemos na exposição um Chevrolet Bel Air de 1953, além de caminhão e carro forte elétricos fabricados pela Eletra. Numa outra parte do local estavam expostas miniaturas de ônibus de veículos da Viação ABC e da Viação Alpina, que pertenceu à família Setti e Braga.

*****************************
Ednilson Teixeira
Batateiro.
Pesquisador das curiosidades da cidade.
Administrador do grupo de Fotos Antigas de São Bernardo do Campo
MTB n° 0089656/SP
*****************************

Tagged: , , ,

Comente

Seu email não irá ser publicado Preencha os campos marcados com *.

Skip to content